0

Cada tempo da vida.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on TumblrEmail this to someone

img_vida
 
Cada tempo da vida tem sua forma de amar. Para os momentos de dúvida, para os momentos de troca, para os momentos que se definem pela transitoriedade, há o ficar. Ficamos como quem vai de um canto a outro, acompanhados. Imagine uma viagem de ônibus em direção à praia, na manhã de sábado. O ficante está ao lado, tornando as coisas melhores, e a gente se despede na chegada. Podemos nos voltar a ver, mas não é certo. Aquele momento acabou, reticências.

Ficar é leve, necessariamente. Um ato de carinho destituído de drama. Na ausência de um futuro glorioso, ou de um passado que nos ligue e magoe, podemos ser nós mesmos, sem complicações. O compromisso é a simplicidade. O beijo sem pressa, o sexo sem lágrimas, a conversa sem recriminações. Pela manhã, alguém se levanta e sai discretamente, sem fazer barulho, talvez deixando um bilhete sobre a mesa: “Foi bom”.

Com os ficantes se aprendem coisas, claro. É tudo novidade. O corpo, as palavras, os gostos e os sabores. Estamos na presença de uma pessoa estranha, afinal. As horas de intimidade tornam-se intensas. Há códigos a serem desvendados, prazeres a serem descobertos: isso é bom, aquilo não funciona. Diante de você há um livro inteiro, mas foi combinado, sem dizer palavra, que não se iria além da página dois. Operaremos apenas com as funções essenciais do sentimento amoroso. E seremos felizes assim, por enquanto.

Destituído de ambição, o ficar produz memórias eternas. Em 10 ou 20 anos, você se lembrará de um gesto sob o chuveiro, do sol refletindo no ombro dela, daquele olhar na penumbra, repleto de ternura inesperada. Esses momentos irão se costurar como retalhos secretos à sua biografia. Serão parte inalienável de você. Comporão, discretamente, o repertório da sua vida. Ajudarão a entender quem você é, assim como aquilo que é capaz de provocar nos outros. Ficar ensina a gostar, mas, sobretudo, ensina a ser gostado.

Haverá um dia em que ficar já não será suficiente. Você estará pronto, seu coração estará maduro, seus sentimentos renovados esperarão, ansiosos, pelo momento de se voltar para alguém. Não mais por uns dias ou por algumas horas, mas com a promessa de ser para sempre. Você desejará, então, dividir uma casa, viajar para longe, criar um cão, receber os amigos. Você almejará ter planos e uma vida em comum. Nesse momento radiante, os ficantes ficarão para trás. Não como erros ou como desvios. Certamente não como perda de tempo. Terão sido parte da jornada, etapas de um caminho, pedaços de uma obra em andamento, parte de você.

Fonte: Revista Época

 

Simplicidade é o segredo de uma vida feliz!

 

 

Simplicidade é o segredo da vida feliz.
Curta e compartilhe. Viva uma Vida Simples.

www.vidasimples.blog.br
facebook.com/vidasimplesblog

Vida Simples Blog

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *